• LogMeIn’s

Como se preparar para o cenário pós-pandemia

by LogMeIn | Oct 19, 2021


Por Fabio Cunha, Consultor de Soluções LATAM da LogMeIn

A pandemia da Covid-19 obrigou diversas empresas a reinventarem sua forma de trabalhar e atender seus clientes, com muitas delas transformando seus negócios em um modelo digital. Foi um período em que experimentamos uma importante mudança cultural com novos modelos de trabalho, uma nova rotina familiar, e também novas opções de mobilidade.

Mas nenhuma tecnologia que permite o trabalho remoto foi inventada em março de 2020. Todas as soluções já existiam e estavam à disposição das empresas. O que a pandemia fez foi colocar tudo à prova: a tecnologia, a estrutura de internet, nossa capacidade de adaptação, de colaboração, de resiliência. Agora é o momento de pensar no pós-pandemia. Qual modelo adotar e como se preparar da melhor forma para o futuro?

Histórico

O modelo de escritório antes da pandemia ainda era uma herança da Revolução Industrial. Naquela época, as pessoas precisavam ir até as fábricas para usar os meios de produção e matéria-prima que estavam disponíveis no local para realizar o seu trabalho. Todos precisavam entrar juntos e sair no mesmo horário, pois uma produção em série exigia essa sincronização entre as pessoas. O tempo passou e continuamos seguindo esse modelo nos escritórios modernos. Os meios de produção passaram a ser os telefones, computadores, sistemas, e salas de reunião, e diariamente as pessoas se deslocavam para o escritório no mesmo horário para usar essas ferramentas que estavam disponíveis somente ali.

O trabalho remoto não é algo novo. Podemos observar três grandes ondas de sua adoção:

  • 1ª Onda (2007-2013): Internet Marketers – Primeira onda dos nômades digitais formada por profissionais autônomos trabalhando com vendas e marketing pela internet. No início, eram marginalizados por não terem local e horário fixo de trabalho.

  • 2ª Onda (2014-2020): Freelancers e Escritórios Virtuais – O avanço da tecnologia e disponibilidade de internet em alta velocidade permitiu que o modelo se expandisse. Muitos profissionais dos mais diversos segmentos passaram a oferecer seu serviço a empresas localizadas em todo o mundo de forma remota. Além disso, muitas empresas passaram a adotar o home office em alguns dias da semana.

  • 3ª Onda (2021): Adoção em massa – A pandemia acelerou a adoção do modelo e a partir de 2020, o trabalho passou a ser independente do local. O home office se tornou uma prática comum a quase todos os segmentos e profissões.

Muitas crenças que impediam as empresas de adotar o home office precisaram ser revistas. A principal delas é que se as pessoas não estão no escritório, significa que não estão produzindo. Um estudo recente da LogMeIn realizado pela Forrester mostrou que 62% dos funcionários entrevistados estão mais felizes quando trabalham remotamente e 56% são mais produtivos ao trabalhar de casa.

Cenário pós-pandemia

Com o avanço da vacinação, muitas empresas estão planejando o retorno ao escritório, enquanto outras já adotaram o home office ou um modelo híbrido de forma permanente. A verdade é que as mudanças e os aprendizados que tivemos não dizem respeito somente ao local de trabalho, mas principalmente à forma como trabalhamos. Colaboração, comunicação assíncrona, autonomia, flexibilidade, autorresponsabilidade, autogestão, e gestão por entregas são aprendizados e valores que vieram para ficar.

O modelo híbrido será a realidade da maior parte das grandes empresas. Uma recente pesquisa realizada da HealthEquity mostra que 77% dos entrevistados preferem este modelo. Somos seres gregários e valorizamos as conexões humanas. O tempo presencial será reservado para atividades preciosas com muita interação entre as pessoas. Uma característica importante do cenário híbrido é que nenhuma atividade será mais 100% presencial, haverá sempre alguém da equipe trabalhando de forma remota. Isso exige que toda reunião ou toda atividade tenha também uma conexão, um registro digital.

Planejando o futuro

Antes da pandemia, a área de TI na maioria das empresas tinha um papel secundário, que era apoiar e facilitar o trabalho das outras áreas em suas necessidades de negócio. Isso mudou, e a TI se tornou essencial para garantir a continuidade dos negócios e a sobrevivência de muitas empresas. Além disso, a tecnologia passa a garantir a melhor experiência remota através dos seguintes elementos:

  • Produtividade: capacitar os colaboradores a completar suas tarefas com eficiência;

  • Sensação de pertencimento: permitir que os colaboradores se comuniquem com fluidez e trabalhem como um time;

  • Satisfação com as ferramentas de trabalho: percepção de uma infraestrutura e suporte eficiente que sustente a experiência de trabalho remoto.

Muitas empresas já tinham soluções de comunicação que permitiram uma rápida transição para o trabalho remoto. Outras resolveram esse problema com o que tinham, usando diversas ferramentas gratuitas e não integradas. Houve ainda aquelas que tiveram muita dificuldade para que seus colaboradores produzissem. Um aprendizado valioso é que não é mais possível depender de uma solução que não permita a mobilidade e resposta rápida a desastres para garantir a continuidade do negócio.

Como escolher a melhor solução?

Ao escolher uma solução que permita o trabalho remoto, é preciso pensar na experiência dos colaboradores através das seguintes perguntas:

  • Quais dispositivos eles vão usar?

  • Quais ferramentas de colaboração são necessárias?

  • Como os clientes serão atendidos pelos colaboradores remotos?

  • Como garantir a segurança nesses dispositivos?

  • Como monitorar e gerenciar os recursos remotos?

Com uma ideia da solução desejada, é muito importante confirmar que ela atenda aos seguintes requisitos:

  • Confiável: a solução deve funcionar sem interrupções garantindo diversos níveis de redundância com alta qualidade nas ligações de voz e vídeo. O suporte da solução deve estar disponível 24x7x365.

  • Profissional: os clientes que entram em contato com sua empresa esperam ter uma experiência fluida ao navegar pelos canais de atendimento até falar com a pessoa certa. Todas as chamadas devem ser feitas para um número chave da empresa que permita o monitoramento e gestão.

  • Fácil de usar: as ferramentas não devem ser um obstáculo para a comunicação e colaboração, mas sim facilitar. Atualmente, o mercado de trabalho é marcado pela transgeracionalidade, ou seja, temos pessoas de quatro gerações diferentes, com variados perfis e experiências trabalhando juntos.

  • Segura: segurança é um fator fundamental. A solução deve ter mecanismos que protejam o acesso dos colaboradores, suas senhas, e garantir que toda a comunicação de voz e vídeo seja protegida fim a fim.

As soluções de comunicação unificada da LogMeIn estão sendo usadas por milhares de empresas em todo o mundo para oferecer a melhor experiência remota para seus colaboradores. Na LogMeIn, imaginamos que as pessoas possam trabalhar sem restrições ou atritos, então encontramos maneiras de tornar isso realidade. A força de trabalho moderna tem um potencial ilimitado e estamos aqui para desbloqueá-lo.

Para mais informações, fale conosco: marketing@acomip.com.br

10 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo